07 Dicas para evitar a temida trombose em viagens longas

Angiologia Cemel

O feriadão de 07 de setembro com certeza vai ser uma ótima oportunidade para fazer aquela viagem tão esperada. Mas, se o seu destino é muito longe de casa e você vai passar várias horas na estrada, seja de carro, ônibus ou avião, alguns cuidados básicos são necessários para evitar o aparecimento de trombose venosa.
O alerta é o do Cirurgião Vascular do Centro Médico Laguna Center, Dr. Gustavo Coffler. “Nas viagens de longa duração há um risco maior de desenvolver trombose venosa. O principal motivo é a impossibilidade de andar ou movimentar as pernas. Isto, somado com a desidratação acaba fazendo com que o sangue coagule dentro da veia da perna. Pessoas que já têm a uma tendência familiar para ter trombose estão sob um risco ainda maior”, esclarece o especialista.
Ainda segundo o médico, “a trombose doença é caracterizada pela formação de coágulos dentro das veias, normalmente causados pela imobilidade, sendo mais comum em pessoas que ficam sentadas na mesma posição por um período maior de 4 horas”.
Dr. Gustavo ensina 7 dicas importantes para evitar trombose em viagens com mais de 4h de duração:

Confira:
Levantar-se e andar no corredor do avião ou do ônibus a cada duas horas.
Usar roupas e sapatos confortáveis para não prender a circulação;
Exercite-se flexionando e estendendo os pés e dobrando os joelhos a cada hora;
Beba bastante água para não desidratar;
Evite tomar medicamentos para dormir, que podem impedir que você se levante e ande durante a viagem;

Cálcio nas coronárias pode levar ao infarto e AVC

Cálcio nas coronárias pode levar ao infarto e AVC

A existência de cálcio na coronárias está relacionado ao envelhecimento das artérias e é chamado […]

Hipertensão arterial e Exercício Físico

Hipertensão arterial e Exercício Físico

Hipertensão Arterial foi tema de Minicurso ministrado pelo Dr Nelson Kato, cardiologista da Cemel

Varizes – Histórico Familiar

Varizes – Histórico Familiar

Dr Gustavo Coffler fala sobre a influência do histórico familiar nas doenças vasculares